fbpx
Registros vocais: quais são e para que servem?

Registros vocais: quais são e para que servem?

Você já ouviu falar de “voz de peito”, “voz de cabeça”, “voz mista”, mas não sabe muito bem o que são esses nomes e para que servem? Então você está no artigo certo. Aqui vamos falar sobre os registros vocais, regiões da nossa voz, onde são produzidos sons com qualidades e timbres diferentes, entre um registro e outro.

 

O que são os registros vocais?

 

Um registro vocal é uma série ou um intervalo de notas que pode ser emitidas com uma qualidade de voz quase idêntica. São regiões da nossa extensão vocal.

Apesar de os registros serem um conceito muito trabalhado e mencionado entre os cantores e profissionais da voz, existem muitas informações erradas que circulam sobre o assunto. Uma delas é associar os registros apenas as áreas de ressonância do som.

 

++Veja mais: O que são ressonadores?

 

Esse é um erro muito comum pois os nomes “voz de cabeça” e “voz de peito” nos levam a imaginar que “voz de peito” é aquela que ressoa na caixa torácica e “voz de cabeça” aquela utiliza os ressonadores da cabeça. Porém não é tão simples assim.

Na verdade, os registros vocais estão mais relacionados a musculatura da nossa laringe e na abertura de nossas pregas vocais. A diferença do tipo de som que emitimos em cada registro se deve a mudança de atuação dos músculos de nossa laringe. Em algumas regiões alguns músculos são mais ativos que outros e vice-versa.

 

 

Por que é importante um cantor conhecer os registros vocais?

 
 

Conhecer quais são os registros vocais, dá ao cantor uma compreensão mais ampla do que é possível fazer com a sua voz. Isso abre um leque de opções na hora de cantar, fazendo com que o cantor seja capaz de se adaptar ao estilo da música que está interpretando, trazendo recursos vocais para deixar a performance mais interessante. Além disso, a passagem entre os registros vocais é algo que costuma causar problemas para quem canta, já que são regiões desconfortáveis que não sabemos como portar a voz. Com maior compreensão dos registros e entendimento da musculatura de suas pregas vocais, fazer essas passagens se torna mais fácil.

 

 

Quais são os registros vocais?

 
 

A divisão dos registros e dos sub-registros vocais possui muitas variantes, e sendo assim não existe uma quantidade definida de registros. Cada professor de canto adota alguma teoria e trabalha em cima disto. Neste artigo vamos tratar de uma divisão de 6 registros.

 

1) Basal ou Fry

 

O registro basal, ou vocal fry, é o registro mais grave da nossa extensão vocal. De tão grave, neste registro emitimos apenas ruídos, aquele som “craquelado” que fazemos quando passam bolhas de ar pela nossas pregas vocais. Em contextos musicais, o fry é bastante utilizado por alguns cantores no início de frases, como recurso de expressão. Você também encontra vocal fry em beat box, por exemplo, ou em algumas músicas de hard rock.

 

2) Voz de peito

 

A voz de peito é o registo onde ressoam os graves, uma voz mais densa e encorpada. Nossa voz natural, falada, normalmente está situada neste registro.

 

3) Voz mista

 

A voz mista, ou voz média, é um registro de passagem entre voz de peito e a voz de cabeça. Ela costuma ser um problema para os cantores, pois nessa região a voz, muitas vezes, perde volume, perde o timbre brilhante. É preciso encontrar um equilíbrio entre a musculatura da voz de peito e a voz de cabeça, para poder fazer a passagem entre estes registros de forma suave e natural, sem quebras bruscas.

 

++Veja mais: Como encontrar a voz mista (mix voice)

4) Voz de cabeça

 

A voz de cabeça é o registro usado para cantar notas agudas. A voz é mais tênue e tem menos potência que a voz de peito. Para alguns teóricos este registro é o mesmo que o falsete, porém aqui vamos tratá-los separadamente.

 

5) Falsete

 

Alguns acreditam que a voz de falsete seria a voz de cabeça para os homens. Seria a imitação do registro feminino mais agudo. Entretanto alguns estudos mostram que os músculos da laringe que atuam na voz de cabeça são diferentes do que atuam no falsete. Tanto é que uma mulher consegue cantar tanto na voz de cabeça quanto no falsete, apesar da diferença entre esses registros ficar mais clara na voz de homens. Neste registro não há o fechamento completo das pregas vocais, por isso a voz fica com essa característica mais “soprosa”.

 

6) Whistle

 

O whistle ou “voz de apito” é o registro mais agudo da voz humana. Para emitir notas tão agudas as pregas vocais se estendem quase ao ponto de fecharem, e por esse pequeno espaço restante que passa o ar, fazendo esse efeito de assobio. É preciso muita técnica e controle das pregas vocais para conseguir fazer o whistle. Uma das cantoras mais conhecidas por utilizar esse efeito é a Mariah Carey.

 

++Veja mais: Como fazer whistle?

 

Vale lembrar que não importa qual seja a sua classificação vocal, todo mundo consegue cantar dentro destes 6 registros.

Para saber mais sobre o assunto, confira essa dica do minuto do professor Israel Tedesco:


Deixe uma resposta

Fechar Menu