6 dicas para MELHORAR a prática da COMPOSIÇÃO

Existe aquele clichê de que os compositores vivem de pura inspiração, que tem uma ideia genial e em um piscar de olhos a ideia já se torna uma música completa e acabada. Porém não é bem assim que funciona a composição. Na verdade, a realidade de um compositor é bem diferente disto.

Mais do que inspiração, a composição é uma técnica que exige muito treino. Porém existem algumas dicas que podem te ajudar a melhorar a prática da composição. O professor de composição do Atelier de La Musique, Nicholas Saliby, listou 6 dicas para vocês:

1) Ter métodos para registrar as suas ideias e suas músicas

Você está voltando do trabalho e no meio do caminho e tem uma boa ideia musical. Mas aí, ao chegar na sua casa para registrar, você já esqueceu completamente a ideia. Essa situação já aconteceu com você? Isso é super comum, e o jeito de resolver é simples: tenha meios para registrar as suas ideias em qualquer lugar que você esteja.


A maneira mais prática é gravar um áudio no celular cantando a melodia. Se você não gosta de cantar também existem alguns aplicativos para celular, que disponibilizam um teclado e você pode gravar tocando por lá. Para quem já tem mais familiaridade com a teoria musical, é legal tentar registrar essas ideias na partitura. É um registro mais definitivo, pois você pode mandar para outros músicos lerem e tocarem o que você escreveu.

2) Não jogue nada fora

A gente nunca está satisfeito com as ideias iniciais. Muito raro alguém ter uma ideia que já goste logo de cara. Principalmente para quem está começando a compor, é importante não jogar nada fora, para que você possa acessar futuramente essas ideias. O que pode parecer ridículo ou ruim hoje, daqui uma semana, um mês, um ano, você pode enxergar com outros olhos e vislumbrar outras possibilidades para aquele material. É possível usar aquela ideia em outra composição ou até mesmo dar continuidade à ela, só que com mais experiência.

3) Menos autocrítica

Temos que ser mais bondosos com nós mesmos em relação às nossas expectativas, julgamentos e críticas. É natural que a gente queira, logo de cara, fazer uma música muito bonita, genial, mas não é assim que funciona. Precisamos de prática e de paciência para trabalhar em uma composição. Não coloque sua expectativa lá no alto, principalmente nos primeiros anos compondo, porque você vai estar em desenvolvimento. Aceite que você tem suas limitações, mas que elas não são para sempre e que você está em progresso. Deixe um pouco de lado o julgamento, o importante é manter a constância na prática da composição.

Veja mais: Composição: Técnica ou Inspiração?

4) Crie guias e tenha referências

Uma coisa interessante de fazer antes de começar de fato a criar a música é escrever um “guia” da composição. Crie tópicos das coisas que você quer trabalhar na música que está compondo, sejam eles tópicos técnicos, como o tipo de harmonia, escalas ou melodias que vai utilizar ou podem ser tópicos mais subjetivos como um sentimento que você quer passar.

Esse “guia” é importante porque, no momento em que você tiver dificuldade para continuar a música, você pode usá-lo para consultar e voltar a composição para o rumo que você pensou inicialmente.

Outra coisa importante são as referências. Pense em artistas, músicos, bandas e compositores que você admira e gostaria de se espelhar. Você pode ter o estilo deles como uma ideia base para trabalhar em uma música. Porém muito cuidado para não ficar ouvindo essa música antes de começar a compor, porque a chance de você acabar soando como um plágio é muito grande.

É preciso ter uma visão mais distante. Se você tem na sua mente essa referência, busque ela de uma maneira mais inconsciente, não tão direta, para não soar como uma cópia.

5) Flexibilidade

Ao mesmo tempo que é importante ter guias, referências e objetivos, não podemos deixar que isso trave a nossa composição. As vezes durante o próprio processo de criação da música a própria harmonia ou melodia te faz querer ir para outros caminhos. Você tem que estar aberto a isso, para não ficar preso na sua ideia original. É legal estar aberto para, de repente, mudar totalmente de ideia, se a própria composição for te levado a estes caminhos. Não seja tão rígido a ponto de perder boas ideias, só para manter o que você imaginou inicialmente. Deixe a música fluir.

6) Tenha um prazo para terminar a sua música

A coisa mais comum é a gente trabalhar em uma composição durante meses e nunca terminar, ficando com aquele saldo de 50 composições inacabadas e poucas que realmente terminamos. Então é muito importante termos prazo para nos forçarmos a dar um desfecho para a música.

Curtiu as dicas? Se quer aprender a compor com qualidade, que tal fazer aulas no Atelier de La Musique? Aqui temos uma grade curricular completa com mais de 30 disciplinas teóricas e práticas, inclusive a aula de composição.