Como controlar a dinâmica no violoncelo?

Aprenda como variar a intensidade com que se toca as notas

Dinâmica no violoncelo

O som possui fundamentalmente 3 características principais. São elas o timbre, a intensidade e a altura.  Ao contrário do que muitos pensam, a altura não é o volume das notas e sim a frequência delas. Uma nota mais aguda é uma nota alta, e uma mais grave é baixa. Sendo assim, o volume tem a ver com a intensidades das notas. A dinâmica então, nada mais é do que a variação de intensidade com que tocamos as notas. As dinâmicas possuem nomes na música, indo do pianissisimo (a mais suave), até o fortissisimo (a mais forte).
 

ppp pianissisimo
pp  pianissimo
p   piano
mp  mezzo piano
mf  mezzo forte
f   forte
ff  fortissimo
fff fortississimo

 
Pois então como é possível variar as dinâmicas ao tocar o violoncelo? A velocidade de arco e o peso que se exerce sobre a corda são dois elementos que podem ser utilizados para variar a dinâmica.
 

Velocidade de arco:

Quando mais lento tocamos, mais fácil é para fazer as dinâmicas mais fracas. Já para fazer as mais fortes, o arco mais rápido facilita.
 

Peso:

A velocidade do arco não é único artifício que podemos usar para alterar a dinâmica. É possível alterá-la apenas variando o peso do arco sobre as cordas. Para isso é necessário posicionar o arco não muito longe do cavalete e utilizar o seu corpo para apoiar o peso do braço sobre a corda, sem fazer força com o pulso. Quanto mais pesado mais forte a dinâmica e quanto mais leve mais fraca.
 

“Overpressure” ou Pressão excessiva:

Esse é o efeito que ocorre quando se toca com muito peso com o arco longe do cavalete, em cima do espelho.
 
Para ver um exemplo prático, assista esse vídeo que o professor Rodrigo Prado gravou:
 

 

AGENDE AQUI SUA AULA EXPERIMENTAL GRATUITA
Compartilhe com seus amigos!Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *